Minimalismo em prática

1193779_39725298

Temos o capitalismo como sistema econômico. Com isso o consumismo faz parte do nosso dia-a-dia. Somos bombardeados com propagandas que dizem que para sermos plenamente felizes precisamos do produto “X”. Para ficarmos bonitos precisamos de todos os perfumes do mundo; maquiagem; roupas da moda. Carros. Gadgets. Sapatos. Precisamos também conhecer os restaurantes caros. As baladas que bombam. Os shows de 500 reais. Comprar, comprar e comprar. Só que por quanto tempo dura essa felicidade? Os passeios caros são realmente mais divertidos do que outros que você pode gastar pouco ou nada?

Quando decidi mudar de vez a minha vida me vi com pouquíssimo dinheiro. A alternativa era trabalhar em algo que não gostava ou aprender a viver com pouco. Foi assim que conheci o estilo de vida minimalista.

Minimalismo para quem não conhece na verdade é um movimento que tem como base usar poucos elementos para se expressar. Isso na área científica, artítisca e cultural. Com esse movimento surgiu um estilo de vida. Pessoas dispostas a viver com o necessário. Cansadas de comprar (as vezes até compulsivamente), de ver que a felicidade durava pouco, os bens materiais ocupavam espaço e geravam dívidas. Que viram que da pra viver com menos, bem menos.

Agora, o que é o necessário? Essa é uma resposta bem pessoal. A graça é realmente você se perguntar a todo instante se certa coisa é realmente necessária na sua vida. Pensando apenas na parte econômica (porque o minimalismo é muito mais que isso) já vi minimalistas que tem 10 peças de roupas e outros que tem 100. Então não significa ter pouca coisa de tudo. Posso ter 3 sapatos, só que quero ter 70 livros. Não preciso me livrar de tudo e sim gastar meu dinheiro com aquilo que realmente importa para mim.

E aí começa todo um caminho de autoconhecimento. No meu caso eu parei de comprar roupa e maquiagem. Livros passei a pegar emprestados. Passeios eu comecei a fazer os gratuitos. Quando vi eu precisava de tão pouco que o dinheiro que eu tinha para o mês era mais do que o suficiente. Não, não deixei de sair. Escolhi bares com preços acessíveis. Shows em parques. Cinemas baratos. Amigos em casa. Tem uma multidão de coisas para fazer por aí com preço bom.

No fim a conta é positiva. Gastando pouco, você vai precisar de menos dinheiro e assim tem a oportunidade de testar outras coisas. Mudar sua vida. Escolher outros rumos. Acima de tudo, ver o valor de pequenas coisas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s