Alguns caminhos vão te afastar do que você quer

IM000167.JPG
Outro dia fui em uma entrevista e chegando lá descobri que seria coletiva. Tinha cerca de dez pessoas. Todas com uma cara apática com seus currículos na mão. A entrevista consistia em fazer uma “arte” sobre você e depois na frente de todos responder umas questões para se apresentar. Foi aí que meu coração apertou um pouco. Todos que se apresentaram não queriam estar ali. Não sei os sonhos e desejos deles, mas não era aquela função, empresa e salário. Estavam todos desanimados. Sabe quando você está no transporte público em horário de pico e vê apenas rostos infelizes? Era a mesma coisa. Claramente eu era uma dessas pessoas. Não queria estar ali encenando uma animação que não existia. Só que infelizmente eu também precisava do dinheiro.
 
Assim que coloquei os pés na rua, tirei aquele casaco social, soltei meu cabelo e me senti menos sufocada e imaginei como seriam meus dias se eu passasse na entrevista. Secretamente torci para não passar e fiquei aliviada e feliz quando recebi o email de que ainda não tinha sido daquela vez. Foi uma ótima notícia. Me despertou daquilo que eu já sabia e que as vezes esqueço. Não quero isso. Quero sentir prazer no trabalho então tenho que lutar mais e mais para conseguir tal coisa.
 
Sei que nem sempre vai ser possível ser tudo como eu desejo, mas que então o caminho não seja tão tortuoso. Que o passo dado me leve para mais perto da montanha. Para isso eu parei de entregar currículos aleatórios e foquei mais em lugares que eu sentiria mais liberdade, que o horário condiz mais com meu perfil. Porque só de imaginar a sensação de sufocamento de novo ou da vida passar rapidamente sem que eu conseguisse vivê-la, já me deu ansiedade. Vivi isso nos outros empregos que tive. Vivi isso no últimos meses da faculdade. Não quero mais viver isso. Quero ir atrás dos meus sonhos porque sei que irei realizá-los. Você aí que tem várias responsabilidades não desanime, pense que existe solução.
 
Felizmente cada vez mais encontramos pessoas que com seus 30/40/50 anos foram atrás do que sempre sonharam. Mudaram completamente a vida. Guardaram dinheiro e se arriscaram em planos completamente diferente do que faziam no seu dia-a-dia e estão felizes, realizados. Completamente clichê, mas é verdade, ir atrás dos sonhos é possível e satisfatório.
 

Quando as certezas de ontem são as dúvidas de hoje

tumblr_l5bje92I031qabe2lo1_500

O primeiro passo foi dado. Saiu do emprego/faculdade e tem um ano sabático pela frente. No primeiro momento temos a vontade de fazer mil coisas. Todas aquelas que enumeramos e que empurramos para as tão sonhadas férias. Só que agora é diferente, não são bem férias, você tem muito tempo pela frente. O prazo é longo, apesar de passar rápido. Qual é o próximo passo?

Seria óbvio demais falar “não procrastine, faça tudo”. Só que não é tão fácil assim. Para quem não conhece o termo, procrastinar significa adiar uma tarefa e muitas vezes isso ocorre pelo nosso medo de errar ou de não ser tão perfeito como gostaríamos. Eu sou mestra nisso e uma das consequências é a sensação de culpa.

 Se você teve a coragem de dar o tão importante primeiro passo, se prepare. A jornada apenas começou. Se o seu ano sabático é para você se organizar e atingir um sonho específico, já é uma grande ajuda. Trace um plano, faça metas e tente não perder o foco (e se dê uma folga).

 Agora se a sua história é parecida com a minha, bem-vindo ao mundo da dúvida constante. Sua vida vai virar uma roda gigante de emoções e te garanto, isso é ótimo. Passei meses angustiada e com pressões internas de que tinha que decidir logo o que eu ia fazer. Que curso? O que vou fazer pro resto da minha vida? Cometi o erro que cometemos lá no ensino médio, quando essa pergunta martela nossa mente e nos faz escolher desesperadamente alguma coisa só para ter a sensação que resolvemos um problema.

 O erro está na pergunta e como encaramos tudo isso. Resto da vida é muito tempo e a vida muda numa rapidez impressionante. Por exemplo, quando escolhi cursar biologia marinha era a coisa certa a fazer e foi certa por 2 anos e meio, agora não é mais, porque muita coisa mudou. Então o que eu quero dizer é que na real nossos planos tinham que ser de curto prazo.

 A pergunta tem que ser: O que você quer fazer hoje? Amanhã? Daqui a 6 meses? As vezes a resposta vai ser: não fazer nada. E fazer nada vai ser a coisa certa no momento. E o que a procrastinação tem a ver com tudo isso? Ela vai aparecer. O cansaço, o medo, a culpa e a dúvida também. E vão ser nessas horas que todos os seus planos vão pelos ares. Você não vai querer fazer nada que planejou. Não vai ver fim na angústia. Vai traçar plano em cima de plano. Adiar datas, criar e recriar metas. Por isso se prepare, respire bem fundo e lembre-se: todo passo que você der vai te levar pra frente.