Bagunça mental

As vezes a vida começa a dar umas reviravoltas sem que você tenha tempo sequer de inspirar mais fundo para aguentar o tranco. E já que não deu tempo nem de respirar, imagina parar pra pensar sobre? Acho que o ritmo frenético de cidade grande também ajuda a te engolir e quando você vê tudo virou um caos.

Algo que eu uso muito como termômetro é o caos que me quarto fica. Ok, não sou a pessoa mais organizada do mundo, mas quando a coisa pega, nem eu consigo aguentar. Todo lado que eu olho tem roupa jogada, só que não dá tempo de arrumar, certo? Só consigo chegar, jogar outra roupa por cima, caçar uma meia velha para esquentar meu pé e dormir.

Se eu não tomar cuidado isso pode se tornar semanas, meses. Mas o grande problema nem é meu quarto e sim a bagunça interna. Não parei para analisar meus sentimentos, apenas soterrei (igualzinho as roupas, saca?), não organizei meus pensamentos para achar uma solução ou quem sabe entender e aceitar tudo que tá passando. Só segui o rumo rapidamente, afinal, cadê tempo nessa vida doida?

Tanta coisa para fazer, trabalho, cuidar da casa, da vida, da carência dos amigos, da família, pagar contas…ei, cadê a sua carência? a sua vontade? a sua vida? Nossa vida não se resume só a um monte de tarefas e objetivos. Tá, quero uma carreira. Tá, quero cuidar de todos ao meu redos. Mas e ai? Quem entra na minha cabeça e me acalma? Só eu, migs. Só eu.

E mesmo que eu ache que não dá tempo, uma hora vai ter que dar, porque a pilha de roupa vai desmoronar e levar tudo junto e para isso não acontecer, eu preciso arrumar e pode ser sim uma peça por vez, um dia após o outro. Até a rotina calma voltar a ser instaurada. Até eu conseguir respirar bem fundo antes de encarar o dia. Até que o mantra mental do que eu quero para minha vida/quais prioridades volte a ficar firme dentro de mim.

 

 

Anúncios